Apresentação

Com atuação na área de vigilância epidemiológica e da pesquisa, nos últimos 10 anos a SABMI tem trabalhado sistematicamente nos surtos epidemiológicos, tais como: de febre tifóide, cólera, micobacterioses, diarréia aguda, entre outros.

 

A Seção tem desenvolvido também parcerias com instituições acadêmicas e de pesquisa, no tocante à formação de recursos humanos e apoio à Pós- graduação (especialização, mestrado e doutorado).

Áreas de Atuação

Entre as pesquisas pioneiras da SABMI está o estudo da ecoepidemiologia das leptospiroses na Amazônia. Foi comprovada a existência da doença, pela primeira vez no país, em duas comunidades indígenas (Parakanã e Mekranoiti). Registrou-se ainda a caracterização de quatro tipos de leptospiras em animais silvestres, que ainda não haviam sido detectadas no Brasil, assim como registro da doença em gado bovino da Amazônia. A pesquisa de reservatórios de Salmonella em animais silvestres durante a construção da rodovia Belém-Brasília, na Serra dos Carajás e na Ilha do Marajó, propiciaram o conhecimento de sorovares de Salmonella pela primeira vez descritos na região.

 

As enteroinfecções bacterianas se constituem em outra importante linha de pesquisa. Os primeiros registros, na Amazônia, de infecção humana por Campylobacter jejuni, Vibrio parahaemolyticus, Escherichia coli enterotoxigênica e de cepas sacarose negativas de Vibrio cholerae O1, foram outras conquistas expressivas.

 

Ressalta-se a pesquisa sobre vigilância das pneumonias e das doenças invasivas causadas pelo pneumococo em crianças de até 3 anos de idade em Belém, Pará. Um dos maiores estudos do gênero já realizados na América Latina. 2006-2007.

 

A febre tifóide é uma das doenças que mais tem suscitado atuação em trabalho de campo pela SABMI. Foram várias as ocorrências de epidemias no interior do Estado do Pará nas últimas décadas, que renderam ao Instituto uma vasta experiência nas esferas clínica, laboratorial e, sobretudo, epidemiológica dessa doença, que se tem mostrado uma das mais importantes do cenário nosológico da Amazônia. Entre os episódios investigados pela equipe da SABMI estão os da localidade Cipoal, no município de Óbidos (1997) com mais de 60 casos; Moju (1999) com 82 casos; Anajás (2001 e 2003) com mais de 80 casos; Limoeiro do Ajurú (2003) com mais de 20 casos. A SABMI participou também de uma investigação ocorrido fora dos limites do Estado, no município de Tarauacá – AC, em 1995, prestando valiosa ajuda ao Ministério da Saúde a esclarecer o problema. Em todos os episódios citados a Seção contribuiu decisivamente com as respectivas Secretarias de Saúde envolvidas para o esclarecimento e conseqüente resolução dos casos. No município de Moju, com o apoio da Secretaria de Saúde local, a Seção promoveu um seminário sobre doenças infecciosas envolvendo as demais Seções do Instituto, contribuindo para disseminar informações à maioria dos profissionais de saúde da área do baixo rio Tocantins, sobre as principais doenças endêmicas da região. Estudo recente sobre os sorovares de Salmonella de origem humana no estado do Pará, no período de 1991 a 2008, mostra que foram identificados 47 sorovares dentre 835 casos de salmonelose, e ressalta-se a alta prevalência de infecção por S. Typhi (58,9%) quando comparada a outros sorovares estudados, demonstrando assim que a febre tifóide representa um sério problema de saúde na região Norte do País.

 
-> Fig. 1 - Chegada da Equipe da SABMI ao Óbidos-PA município de Anajás (2001).
 
-> Fig. 2 - Levantamento de casos na localidade de Cipoal, em Óbidos(PA) - (1997).
 
-> Fig. 3 - Aspectos da coleta de espécimes clínicos e ambientais, em Anajás-PA(2003).
 
-> Fig. 4 - Equipe do IEC: levantamento de casos clínicos e ambientais em Tarauacá-AC (2002).
 
-> Fig. 5 - Aspectos da coleta de espécimes para diagnóstico do tracoma.
 
-> Fig. 6 - Coleta de espécime para diagnóstico do tracoma em escolares de Santarém-PA (2009).
 

A SABMI foi pioneira ainda no estudo do perfil de resistência do Mycobacterium tuberculosisaos tuberculostáticos, participando do inquérito Nacional ocorrido no período de 1995 a 1996 e 2009. A partir de 1998 iniciou o estudo de identificação das micobactérias não causadoras de tuberculose, favorecendo o esclarecimento diagnóstico de casos esporádicos e de infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) em Belém.

 

A partir de 2004 foi iniciado a produção de exoantígenos fúngicos e soros hiperimunes padronizados para o diagnóstico sorológico da paracoccidioidomicose, da histoplasmose e da aspergilose, conferindo assim, um trabalho pioneiro na Região Amazônica.

 
A SABMI tem uma série de pesquisas em andamento e em fase de conclusão:
 
- Estudo de soroprevalência para leptospirose nas áreas de influência do Projeto Salobo, bem como a investigação diagnóstica nos casos de síndrome febril e ictérica;
 
- Etiologia bacteriana e parasitária da diarréia aguda no município de Juruti, Pará;
 
- Identificação e genotipagem de diferentes espécies micobacterianas associadas a infecções humanas;
 
- Estudo de transmissores e reservatórios silvestres de Salmonella e Escherichia colipatogênicas nas áreas de influência do projeto Salobo, Pará;
 
- Perfil de resistência primária de Mycobacterium tuberculosis aos tuberculostáticos padronizados em portadores de tuberculose pulmonar;
 
- Epidemiologia molecular da tuberculose multirresistente no Estado do Pará;
 
- Caracterização genética de agentes bacterianos causadores de infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS);
 
- Estudo clínico, epidemiológico e laboratorial da febre tifóide no Estado do Pará;
 
- Estudo da prevalência de portadores de S. enterica (Sorovar Typhi) em municípios de alta e de baixa prevalência de febre tifóide no Estado do Pará;
 
- Estudos sobre caracterização molecular de S. Typhi, S. Panama, Shigella spp e V. choleraeO:1 - sacarose negativa, utilizando a eletroforese em gel de campo pulsado (PFGE).
 
- Estudo da soroprevalência para hanseníase em áreas endêmicas no Estado do Pará;
 
- Avaliação de peptídeos e proteínas específicas candidatas à vacina do Mycobacterium leprae e para otimização do diagnóstico de hanseníase paucibacilar;
 
-Estudo ecoepidemiológico, clínico e laboratorial do tracoma em três municípios da Ilha do Marajó;
 
- Estudo etioepidemiológico das uretrites bacterianas;
 
- Epidemiologia de micoses sistêmicas: paracoccidioidomicose, da histoplasmose e aspergilose;
 
- Otimização de técnicas moleculares para a identificação de fungos patogênicos;
 
- Avaliação do teste de aglutinação com partículas de látex sensibilizadas com exoantígeno bruto de Paracoccidiodes brasiliensis.

Laboratórios de Referência

A SABMI atua como Laboratório de Referência na Região Norte para cólera e outras enteroinfecções bacterianas (febre tifóide e paratifóide); leptospirose; tuberculose e outras micobacterioses; meningites bacterianas; difteria e coqueluche.

Suporte SABMI:

Email: sabmi@iec.pa.gov.br
Tel.:+55(91)3214-2113
Fax:+55(91)3114-2129

Instituto Evandro Chagas
Envie uma mensagem para nossa equipe de comunicação e ajudaremos como possível. Nosso prazo de atendimento é de até 10 dias úteis.

    Seu nome completo*

    Seu e-mail*

    Telefone

    Estado*

    Município*

    Assunto*

    Sua mensagem