Eficácia de Teste Simuntâneo de Hiv e Sífilis é Testada pelo Instituto Evandro Chagas

  • Eficácia de Teste Simuntâneo de Hiv e Sífilis é Testada pelo Instituto Evandro Chagas

    Eficácia de Teste Simuntâneo de Hiv e Sífilis é Testada pelo Instituto Evandro Chagas

    Projeto encomendado pelo Ministério da Saúde e Organização Pan Americana de Saúde (OPAS) investiga a receptividade do público-alvo dos testes e visa melhorar a logística de políticas para a prevenção e diagnóstico de HIV e Sífilis

     

     

    Dados do Boletim Epidemiológico 2020 do Ministério da Saúde mostram que no ano anterior foram notificados no Brasil 41.919 casos de HIV e 152.915 de sífilis. Esses números são considerados altos e exigem a melhoria de estratégias e políticas públicas que melhorem a eficiência da prevenção das referidas infecções sexualmente transmissíveis (IST´s).

     

    Nesse contexto, o Instituo Evandro Chagas está desenvolvendo, exclusivamente no país, uma pesquisa financiada pela Organização Pan Americana de Saúde (OPAS) que tem como objetivo avaliar a eficácia do teste SD BIOLINEHIV/SyphilisDuo (Abbott), na população paraense. Esse exame rápido consegue identificar simultaneamente em poucos minutos o resultado para HIV e Sifílis, diminuindo o número de insumos para a execução da atividade.

     

    O projeto, denominado Duo Teste, é executado pelo IEC e tem o apoio do Ministério da Saúde, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e a Secretaria Municipal de Saúde de Belém (SESMA).

     

     

    Projeto avalia eficácia de teste que pode melhorar a logística de testagem para HIV e Sífilis no Brasil

     

     

    Além de avaliar a eficácia do teste para os grupos selecionados, o projeto também pretende investigar o perfil epidemiológico de gestantes, homens que fazem sexo com homens (HSH) e trabalhadoras do sexo (TS) atendidos pelas unidades de saúde de Belém, bem como descrever a confiabilidade da plataforma de testes entre os pacientes e profissionais de saúde.

     

    A coordenadora do projeto Daniela Soares, explica a importância da execução do projeto para a saúde pública no Brasil. “A indústria farmacêutica disponibiliza uma variedade de insumos diagnóstico. Contudo, há necessidade de avaliar o desempenho desses produtos dentro dos  algoritmos de diagnóstico preconizados pelo MS além de investigar a aceitabilidade dos públicos mais acometido por HIV e sífilis e usabilidade desses insumos pelos profissionais de saúde a fim de gerar subsídios na implementação e/ou incremento de melhorias de soluções as ações dos programas de saúde, possibilitando assim que um maior número de pessoas tenha acesso as tecnologias de saúde e entrem na linha de cuidado”.

     

    De acordo com fabricante Alere, o Teste SD BIOLINEHIV/SyphilisDuo, tem uma eficácia de 99,67% para HIV e 99,72% para Sífilis. Porém, não se conhece se esses resultados serão reproduzidos em “vida real” já que a validação da indústria ocorre com amostras captadas em banco de sangue. O IEC além de realizar o teste rápido junto com os voluntários, ainda encaminhará amostras para a execução dos teste de padrão de referência, que são executados na Seção de Virologia e Seção de Bacteriologia do IEC.

     

    Havia um comando forte a favor da ciência na SESMA. Daniela Soares, Coordenadora do Projeto.

     

    Como estratégia para a execução do projeto, uma equipe de técnicos do IEC, em acordo com a SESMA, desenvolveu diferentes estratégias junto aos públicos – alvos da pesquisa.

     

    Daniela Soares explica como conseguiu captar 724 participantes, entre os quais 419 mulheres grávidas em 3 meses de coleta do projeto: “Havia um comando forte a favor da ciência na SESMA. Sendo assim, mantivemos equipes fixas nas Unidades Básicas dos bairros de Icoaraci, Bengui e Paraíso dos Pássaros, nos turnos manhã e tarde, após o lockdown ocorrido no mês de abril bem como realizamos atendimentos itinerantes juntos com o Laboratório Biomédico, empresa contratada pela SESMA, para realização do Programa Gestar no município. No IEC, além do engajamento da equipe do projeto, contamos apoio de colaboradores de outros laboratórios das Seções Científicas”.

     

    O público HSH foi atingido em parceria com a Central de Testagem e Aconselhamento (CTA) da SESMA, onde, a equipe da prefeitura forneceu uma sala para a execução da pesquisa durante o período de duas semanas. Nesse espaço foi possível atender os voluntários com os testes e o preenchimento do formulário epidemiológico. 

     

    A pesquisadora Cyntia Souza que fez parte da equipe do projeto comenta o que representou a atividade, para o seu desenvolvimento profissional:  “Falo até de forma emocionada.. pois o projeto significou pra mim uma nova experiência profissional e pessoal voltada às práticas da atenção à saúde no SUS, tanto pelo que vivi na UBS do Bengui II com o atendimento das grávidas quanto pelas ações estratégicas que participei junto com o Consultório na rua (SESMA) para o atendimento das trabalhadoras do sexo. Tudo isso me mostrou uma forma de atuação diferente e significativa para as pesquisas que desenvolvemos no IEC.  Saber que os resultados alcançados por este projeto contribuirão de forma efetiva para assistência destes grupos, vigilância desses agravos e aperfeiçoamento das políticas públicas é muito gratificante.”

     

    Evento “Puta Deí”, promovido pelo GEMPAC, teve a participação do IEC, que levou o projeto Duo Teste como um serviço a comunidade das trabalhadoras do sexo.

     

     

    PUTA DEI e a estratégia com as trabalhadoras do sexo.

     

    Devido à marginalidade social existente em relação à prostituição, foi necessário desenhar estratégicas especificas para atingir esse público-alvo.

     

    No dia 02 de junho, em comemoração ao Dia Internacional da Prostituição, o Grupo de Mulheres Prostitutas do Estado do Pará – GEMPAC realizaram o Puta Dei, um evento voltado a ações para profissionais do sexo, envolvendo a cultura e atividades de saúde. O Instituto Evandro Chagas esteve presente na execução da atividade a fim de captar voluntárias ao projeto DUO TESTE.

     

    é uma referência humanitária que está presente aqui, próximo a uma população estigmatizada, mesmo no meio de uma crise sanitária em que nós estamos vivendo. Lourdes Barreto, GEMPAC.

     

     

    Além da realização dos testes de HIV e Sífilis, simultaneamente, desenvolvida pela pesquisa, o trabalho contou com a parceria do consultório de rua, projeto vinculado a SESMA, que promove de forma itinerante ações de saúde, com uma equipe multidisciplinar de médico, enfermeiros, assistentes sociais e psicólogas para pessoas em situação de vulnerabilidade social.

     

    A enfermeira Silvana Couto, do consultório de rua relatou que o teste aplicado pelo IEC, pode ser de grande relevância para o trabalho da sua equipe “A gente tem o trabalho das testagens, que são quatro testes, e com esse DUO, pode ser mais eficaz na aplicação, porque vêm dois testes em um, acaba sendo mais produtivo, pois diminui os testes a serem aplicados.”

     

     

    Lourdes Barreto sobre o IEC “é uma referência humanitária que está presente aqui, próximo a uma população estigmatizada”.

     

    A coordenadora do GEMPAC, Lourdes Barreto ressalta a importância da presença do IEC no evento “A instituição, além de ser uma referência internacional e mostra que é uma referência humanitária que está presente aqui, próximo a uma população estigmatizada, mesmo no meio de uma crise sanitária em que nós estamos vivendo”.

     

    Nos dias que se seguiram em junho, as equipes de pesquisadores do IEC desenvolveram as pesquisas em boates voltadas para o trabalho de profissionais do sexo na capital Belém, ainda com o apoio da SESMA.

     

    Daniela Soares finaliza esclarecendo que houve muitos desafios com a execução do projeto, mas que os resultados podem ser significativos para as políticas públicas de combate a IST´s “ Há expectativas que os resultados gerem os seguintes benefícios: prontidão no prognóstico e conduta clínica; Minimizar as chances de transmissão vertical; Realizar testagem em áreas ou públicos de difícil acesso; Padronizar o acesso aos dispositivos testes; formular e/ou aperfeiçoar a estratégias de treinamento de recursos humanos. ”.

     

    RESULTADOS PRELIMINARES: No dia 16 de agosto, durante o VIII Encontro Científico de Pesquisas Aplicadas à Vigilância em Saúde (ECPAVS), organizado pelo Departamento de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis da SVS .  Foram apresentados dados preliminares no desenvolvimento da pesquisa. De acordo com as informações apresentadas, 76,3% dos usuários que participaram da pesquisa consideram que o DUO Teste é melhor que os testes rápidos que são realizados de maneira mais rápida. Além disso, os profissionais de saúde tiveram uma aceitabilidade em relação ao novo teste, e o consideram mais fácil de ser aplicado.

     

    Os dados também identificaram que o Duo Teste, possui uma acurácia muito boa, sendo de 100% em relação ao HIV e 96,52 % para Sífilis na amostra analisada. É importante ressalta no que se refere a sífilis que mesmo os teste de referência laboratorial não possuem acurácia de 100% e que o desempenho dos testes estão relacionados as fases da doença.

     

    O que chamou atenção durante a realização do projeto foi à prevalência dos casos de Sífilis e HIV, que se mostrou extremamente elevadas se comparadas a média de ocorrência nacional. A sífilis e o HIV podem ser transmitidas por relação sexual sem camisinha com uma pessoa infectada, ou para a criança durante a gestação ou parto. Os danos a saúde humana são muito graves, mas com o diagnóstico precoce a sífilis pode ser curada e a infecção pelo HIV controlada de modo que a pessoa tenha boa qualidade de vida. Quando gestante, o diagnóstico precoce evita a transmissão dessas doenças para os bebês.

     

    A partir dos resultados positivos, a pesquisa recomenda que o DUO Teste que foi aplicado população, se torne mais um instrumento de política pública voltada ao combate e prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis no Brasil.

     

     

     

     

Instituto Evandro Chagas
Envie uma mensagem para nossa equipe de comunicação e ajudaremos como possível. Nosso prazo de atendimento é de até 10 dias úteis.

    Seu nome completo*

    Seu e-mail*

    Telefone

    Estado*

    Município*

    Assunto*

    Sua mensagem