banner_css

Apresentação

A Coleta Seletiva Solidária consiste em um Programa instituído pelo Governo Federal por meio do decreto nº. 5.940 de 25 de outubro de 2006 visando regulamentar a separação de resíduos recicláveis descartados no âmbito dos Órgãos da Administração Pública Federal, como também a sua destinação em benefício às associações e/ou cooperativas de catadores de materiais recicláveis.

 

Entretanto, para se entender com clareza o que caracteriza a Coleta Seletiva torna-se indispensável esclarecer o conceito do termo "lixo". A palavra deriva do latim lix, que significa "cinza", tecnicamente tem sido identificada como "resíduo sólido". Por muito tempo era constituído basicamente de restos e sobras de alimentos, mas, a partir da Revolução Industrial passou a compor diferentes materiais rejeitados pela sociedade. O seu descarte desordenado no meio ambiente constitui-se atualmente como um dos mais graves problemas ambientais, elevando a cada momento a quantidade de produtos difíceis ou mesmo impossíveis de serem degradados. Fato este, que tem acarretado relevantes danos, não somente ao meio ambiente, mas, também à saúde da população.

 

Destarte, medidas e ações que incentivem posturas participativas, reflexivas e democráticas devem constituir tema permanente de discussão dentro dos órgãos de adesão a este programa.

Representantes das seções

Representantes das Seções/Serviços/Setor:
 
Diretoria / Administração
Àguida Vasconcelos
 
Recursos Humanos
Daniel Cunha do Carmo
 
Biblioteca
Joel Almeida
 
Patrimônio
José Guilherme Leão
 
Setor de Compras
Celeste Sodré
 
Manutenção
Otávio – 3214 – 2081
 
Biotério
Sebastião Frank dos Santos Moda – 3214-2004
 
Epidemiologia
Raimundo Oliveira
 
Hepatologia
Vanessa Costa Sá
 
Malária
Miriam Mendes – 3214-2190
 
Arbovírus
Maria de Nazaré Oliveira Segura
 
Parasitologia
Lorena Moitta – 3214 2064
 
Anatomia Patológica
Raimundo Nonato
 
Virologia
Zelci de Fátima Galiza Primo – 3214 – 2028
 
Bacteriologia
Maria Eneide Reis Cardoso
 
Informática
Claudia de Freitas Rodrigues
 
Programa de Rotavirus
Maria Inez Brito Diniz
 
CENP
Raimundo de Lima Ferreira

A Comissão

Elisabete Maria de Figueiredo Brito (presidente)

Ângela Regina de Figueiredo Ribeiro (suplente)

Maria Izabel de Jesus (membro)

Silvia Maria Moraes Lacerda (membro)

Wendell Luis Ferreira de Oliveira (membro)
 

Contato:

href="mailto:coletaseletiva@iec.pa.gov.br">coletaseletiva@iec.pa.gov.br

Dicas para uma coleta eficiente

1. Os materiais recicláveis devem ser depositados diretamente nos coletores específicos distribuídos nas diversas áreas do IEC;

 

2. Embalagens de papelão precisam ser dobradas, compactadas e/ou soltadas as abas, antes de depositar nos coletores (não misturar com papel de escritório);

 

3. Depositar os papéis de escritório (folhas inteiras) nas cestas de plástico azuis – dispostas nas salas. Para o descarte, de preferência, colocar em caixas de papelão identificadas com letras visíveis: “PAPÉIS”;

 

4. Coletores específicos para copos descartáveis foram colocados junto a todos os bebedouros com a finalidade de evitar o descarte deste material em lixeiras comuns;

 

5. Para evitar o mau cheiro e insetos, antes de descartar copos de café, iogurte ou requeijão, garrafas de refrigerante, embalagens de xampu, etc., retirar os resíduos passando ligeiramente em água corrente;

 

6. Dobrar e pressionar para dentro as tampas de latas;

 

7. Frascos de reagentes não tóxicos e que não tenham entrado em contato com material orgânico, podem ser lavados rapidamente com água corrente e destinados à coleta seletiva;

 

8. Vidros quebrados devem ser protegidos para evitar acidentes;

 

9. Papel amassado ou molhado ocupa mais espaço e diminui o valor para reciclagem;

 

10. Aparas de papel e papel picotado devem ser depositados nos Contêineres;

 

11. Você sabia????? clique aqui e veja o tempo de degradação dos materiais

 

Sempre que tiver dúvida sobre a classificação dos materiais, consulte a Comissão para Coleta Seletiva do IEC: coletaseletiva@iec.pa.gov.br

Benefícios da Coleta

Sanitários: contribui determinantemente para a melhoria da saúde pública;

 

Respeito social: a instituição fortalece a admiração e o respeito público ao reiterar sua preocupação com os problemas sócio-ambientais;

 

Qualidade de vida: a diminuição do volume de resíduos descartados deixa os espaços mais limpos e organizados, livre do acúmulo de poeira o que contribui para a melhoria da qualidade de vida no ambiente de trabalho;

 

Educativos: é um grande passo para a conscientização de inúmeros outros problemas ecológicos. A habitualidade da coleta seletiva pode ser um incentivo para mudanças de hábitos, tanto no ambiente de trabalho, como no meio familiar e social;

 

Ambientais: minimiza os custos ambientais e econômicos. Aumenta a vida útil dos aterros sanitários. O reaproveitamento é fator que contribui na diminuição da exploração dos recursos naturais, muitos não renováveis a exemplo do petróleo, necessários à preservação do planeta;

 

Econômicos: representa uma grande atividade econômica indireta, tanto pela economia de recursos naturais quanto pela diminuição dos gastos com o tratamento de doenças, controle da poluição ambiental de áreas degradadas. Constitui-se também uma atividade econômica direta, pela valorização e venda de produtos descartados.

 

Social e renda: a coleta de produtos recicláveis gera trabalho e renda para centenas de catadores de lixo, que vêem nesta atividade fonte de sustento familiar, além de que possibilita alavancar benefícios sociais, de forma a contribuir com a inclusão social de indivíduos por meio do incentivo à criação de associações e cooperativas de catadores.

Etapas do desenvolvimento

Já completadas durante o segundo semestre de 2008:

 

- Distribuição das lixeiras apropriadas para a coleta seletiva dos resíduos sólidos;

- Definição do espaço (sala) para acondicionar os resíduos recolhidos das seções;

- Levantamento e escolha das associações e cooperativa para estabelecer parceria para coleta periódica dos resíduos recolhidos;

- Formar equipe de representantes dos serviços e seções para dar apoio à comissão;

- Encontro de servidores, contratados e estagiários que serviu de marco inicial para a implantação do programa, com apresentação de palestras, mostra de material reciclado pelas associações e cooperativas que fazem parte da coleta seletiva do IEC, objetivando sensibilizar os colegas da importância desta proposta;

- Palestra de orientação e sensibilização durante o II Encontro de Estagiários do IEC;

- Campanha Natalina para coleta de brinquedos que foram doados entre as crianças que fazem parte das famílias que compõem as associações e cooperativas de catadores (Acesse aqui o relatório);

- Relatório das atividades desenvolvidas durante o semestre encaminhado para a Secretaria Executiva - Comissão Interministerial de Inclusão Social dos Catadores de Materiais Recicláveis (Acesse aqui o relatório).

 

Propostas para o primeiro semestre de 2009:

- Incorporação do CENP ao Projeto em desenvolvimento no IEC;

- Homenagem às Mães que fazem parte das Associações e Cooperativas prevista para o dia 08/05/09 – ainda em fase de estruturação;

- Cursos de reciclagem para as mulheres que fazem parte das Associações e Cooperativas, que será estendido aos colegas do IEC que tiverem interesse em participar – ainda em fase de estruturação;

- II Encontro de Servidores, Contratados e Estagiários previsto para o segundo semestre de 2009.

Metodologia

O programa está sendo conduzido no IEC pela Comissão para Coleta Seletiva Solidária (CCSS/IEC) instituída por meio da Portaria nº 43 de 10 de junho de 2008, que tem o papel de viabilizar o processo e o desenvolvimento das ações propostas. Os resíduos selecionados são acondicionados em salas destinadas para mantê-lo até o seu recolhimento por uma associação ou cooperativa de catadores, a cada mês.

 

O monitoramento e o desempenho das atividades serão avaliados por meio de um Relatório de Avaliação Semestral, de acordo com o volume de resíduos gerado e doado, total de campanhas e ações de sensibilização e educativas, como também, pela adesão dos servidores, contratados e estagiários às propostas elaboradas, que deverá ser encaminhado para a Secretaria Executiva - Comissão Interministerial de Inclusão Social dos Catadores de Materiais Recicláveis.

Objetivos

Objetivo geral

Implantar um programa de coleta seletiva de resíduos sólidos recicláveis no IEC, estabelecendo estratégias de sensibilização, orientação e estímulo entre os servidores, contratados, colaboradores e estagiários, ressaltando a importância de condutas responsáveis neste procedimento.

 
Objetivos específicos

- Estabelecer as condutas necessárias à implantação e manutenção de um programa de coleta seletiva de resíduos recicláveis no Instituto Evandro Chagas;

- Estimular responsabilidades e mudanças de comportamentos entre servidores, contratados e estagiários relacionadas à separação e destinação dos resíduos produzidos na instituição;

- Favorecer reflexões acerca da responsabilidade ética quanto aos problemas ambientais, especialmente àqueles ligados ao descarte de resíduos;

- Desenvolver estratégias de sensibilização e conscientização acerca dos problemas ambientais que afetam a saúde e a qualidade de vida da população;

- Contribuir efetivamente frente aos problemas socioeconômicos das comunidades de entorno, destinando os resíduos sólidos coletados para associações e/ou cooperativas de catadores credenciadas para a manipulação e negociação de resíduos recicláveis.

image_pdfPDFimage_printPRINT
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page
Instituto Evandro Chagas
Envie uma mensagem para nossa equipe de comunicação e ajudaremos como possível. Nosso prazo de atendimento é de até 10 dias úteis.

Seu nome completo*

Seu e-mail*

Telefone

Estado*

Município*

Assunto*

Sua mensagem