Apresentação

O Instituto Evandro Chagas, órgão vinculado à Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde (MS), atua nas áreas de pesquisas biomédicas e na prestação de serviços em saúde pública. Sua área de atuação está relacionada às investigações e pesquisas nas áreas de Ciências Biológicas, Meio Ambiente e Medicina Tropical. Há mais de sete décadas atuando em defesa da qualidade de vida da população brasileira, o IEC tem se notabilizado por inúmeras descobertas, o que o torna referência mundial como centro de excelência em pesquisas científicas. Seu corpo de pesquisadores tem sido incansável na luta pela garantia de serviços de saúde ao povo amazônida a partir de pesquisas relevantes, consolidando o Instituto como centro de excelência em diversas linhas de pesquisas.

 

A prestação de serviços serve freqüentemente como indicador para o desenvolvimento de linhas de pesquisa. Neste último aspecto, as investigações de campo são bastante valorizadas, conferindo ao IEC um significativo conhecimento da região amazônica e vasta experiência em trabalhos de campo, associados à pesquisa laboratorial. Além disso, presta serviços laboratoriais a diversos setores da vigilância epidemiológica e à comunidade. A formação de recursos humanos para pesquisa e ações de saúde, além da produção e distribuição de imunobiológicos destinados a diagnósticos laboratoriais de determinadas enfermidades, também estão entre as atividades do IEC.

 

Sua estrutura comporta o Serviço Técnico-Científico, que reúne as Seções de Arbovirologia e Febres Hemorrágicas, Bacteriologia e Micologia, Hepatologia, Meio Ambiente, Patologia, Parasitologia, Criação e Produção de Animais de Laboratório e Virologia. Existem ainda os Serviços de Epidemiologia, Administração, Recursos Humanos, como também as Unidades de Informática, Microscopia Eletrônica, Manutenção; a Biblioteca, o Laboratório de Geoprocessamento e o Curso Técnico de Laboratório. O espaço físico foi ampliado para o município de Ananindeua, onde funciona a maioria dos laboratórios.

 

Em 2006, o IEC completou 70 anos dedicados a fazer saúde pública e pesquisa biomédica na região amazônica e, particularmente, no Pará. Atuando com recursos próprios e com outros de projetos financiados, com o apoio de instâncias estaduais e municipais em demandas não atendidas pelos Laboratórios Centrais (Lacens), o IEC atende a problemas de saúde e meio ambiente que emergem nos Estados amazônicos; realiza vigilância em saúde e meio ambiente; desenvolve projetos de pesquisa custeados por agências financiadoras no Brasil e no exterior; prepara recursos humanos para a Amazônia e demais regiões do país para atuar em laboratório e na vigilância em saúde e meio ambiente; e promove a construção e implementação de projetos integradores, visando a priorização de questões estratégicas do SUS a serem enfrentadas na região.

 

O Instituto Evandro Chagas, hoje com mais de 70 anos de estudos no campo da Saúde Pública e da pesquisa biomédica, nasceu em 1936 em Belém do Pará, na Amazônia, região cuja extensão territorial representa cerca de 60% do território nacional, abrigando hoje, apenas 22 milhões de habitantes, aproximadamente 12% da população brasileira, com uma densidade populacional de 4 hab/km2.

 

Numa região onde a ocupação humana tem sido acompanhada freqüentemente pela diminuição da qualidade de vida das populações residentes, que convivem com baixos níveis de educação, falta de saneamento básico, aumento progressivo das doenças e com a diminuição proporcional do atendimento em saúde. É esse o cenário onde se desenvolveu e se desenvolve a história da Instituição, que desde o seu nascimento se confunde com a História da Saúde Pública na região.

 

Historicamente exerce função de destaque em âmbito nacional e internacional desenvolvendo estudos e investigações nas áreas de ciências biológicas, meio-ambiente e medicina tropical, publicados em revistas no Brasil e no exterior, além de, no campo da saúde pública, apoiar laboratorialmente a vigilância em saúde. O IEC atua em seis instâncias diferentes da Saúde Pública e da pesquisa biomédica: fazendo Vigilância em Saúde e Meio Ambiente; atendendo a Problemas de Saúde e Meio Ambiente que emergem nos Estados amazônicos, tais como surtos de doenças em humanos, mortandade de peixes, suspeita de contaminação da água por metais, e ou pesticidas clorados ou fosforados, casos de doença humana não diagnosticada; como apoio das instâncias Estaduais e Municipais em demandas que não são atendidas pelos LACENs; em Projetos de pesquisa na área de Saúde e de Meio Ambiente, custeados por agências financiadoras no Brasil e do exterior; na preparação de recursos humanos e em apoio a Secretaria de Vigilância em Saúde/MS em diferentes circunstâncias.

 

Do exercício continuado entre a Saúde Pública e a pesquisa biomédica resulta uma situação em que a primeira oferece as diretrizes para o desenvolvimento da segunda, num constante entrosamento entre a Instituição e as necessidades de pesquisas a serviço da vigilância em saúde na região.

 

As seções científicas, cuja tradição é a pesquisa de campo, trabalham nos laboratórios com técnicas atualizadas que vão do isolamento dos agentes até sua caracterização gênica e análise, incluindo o georeferênciamento e a bioinformática, a serviço da pesquisa, do diagnóstico e da vigilância em saúde.

 

As significativas conquistas da Instituição ao longo desses anos são páginas escritas pela dedicação de todos os servidores que aqui militaram e militam. Cada um deles escrevendo uma frase, que se faltasse, diminuiria a importância do conjunto.

 

As dificuldades são muitas, mas o entusiasmo que marcou a criação da Instituição continua renovado a cada geração de servidores. Do IEC pode-se dizer, a cada dia, que somos conduzidos pela razão e movidos pela paixão.

 
Pedro Fernando da Costa Vasconcelos
Diretor do Instituto Evandro Chagas

Missão Institucional, Áreas de Atuação e Competências

Realizar ações de saúde pública, incluindo a vigilância em saúde, e pesquisa científica no âmbito das Ciências Biológicas, Meio-Ambiente e Medicina Tropical.
 
FINALIDADES E ÁREAS DE ATUAÇÃO
Finalidades: Obter e difundir conhecimentos científicos e técnicos no âmbito da vigilância em saúde, das ciências biológicas, do meio ambiente e da medicina tropical com atuação nacional e com ênfase na Amazônia Legal.
 
O IEC atua hoje em nove instâncias de pesquisa em saúde:

- Saúde e meio ambiente em populações expostas ao risco de poluentes na Amazônia;
- Doenças de veiculação hídrica e a qualidade da água;
- Vigilância em saúde das síndromes (ênfase nas hemorrágicas, ictéricas, diarréicas, respiratórias e exantemáticas);
- Doenças virais e parasitárias transmitidas por vetores (ênfase em arboviroses, malária, leishmanioses e doença de Chagas);
- Novas vacinas e novas estratégias de vacinação para a Amazônia;
- Adequação e aperfeiçoamento dos instrumentos para vigilância em saúde na Amazônia, incluindo recursos de epidemiologia molecular, bioinformática e georreferenciamento;
- A flora e a fauna como indutores de saúde e reservatórios de doenças na região;
- Etioepidemiologia das endemias, epidemias e poluição em comunidades indígenas amazônicas.
- Genômica, proteômica e nanotecnologia para desenvolvimento de novas abordagens diagnósticas mais rápidas, sensíveis e específicas e de alvos terapêuticos.

 
Além de atuar na área de formação stricto sensu:
- Implantação da Pós graduação Institucional em Virologia: Mestrado e Doutorado.
 
COMPETÊNCIAS

Suas competências de acordo com o Decreto nº 7.797, de 30.08.2012, publicado no Diário Oficial da União (DOU) nº 170, de 31 de agosto de 2012, Seção 1, página 7, são:

I - desenvolver pesquisas científicas no âmbito das ciências biológicas, do meio ambiente e da medicina tropical que visem, primordialmente, à identificação e ao manejo dos problemas médico sanitários, com ênfase na Amazônia brasileira;

II - realizar estudos, pesquisas e investigação científica nas áreas de epidemiologia e controle de doenças e de vigilância em saúde ambiental;

III - realizar vigilância em saúde dos agravos investigados pelas seções da área científica;

IV - planejar e executar administrativamente todas as atividades necessárias ao desenvolvimento técnico-científico institucional;

V - exercer as atividades de laboratório de referência nacional e regional que lhe forem atribuídas;

VI - disseminar a produção do conhecimento técnico e científico para subsidiar as ações de vigilância em saúde;

VII - produzir e fornecer insumos biológicos para o diagnóstico laboratorial em apoio às demandas da Rede Nacional de Laboratórios de Saúde Pública em sua área de competência;

VIII - apoiar as universidades regionais e nacionais na formação de recursos humanos em sua área de atuação;

IX - contribuir na formação de recursos humanos, em sua área de competência, para o Sistema Único de Saúde e para ensino e pesquisa;

X - prestar assessoria técnico-científica para o Sistema Único de Saúde e colaborar com instituições nacionais e organismos internacionais em sua área de atuação; e

XI - coordenar e supervisionar a execução das atividades técnicas e administrativas desenvolvidas pelo Centro Nacional de Primatas.

A atual gestão do Instituto Evandro Chagas assume, desde 2014 (Portaria nº 2.139, de 30 de setembro de 2014), a tarefa de dirigir a Instituição e contribuir para que exerça sua função de destaque em âmbito nacional e internacional desenvolvendo estudos e investigações nas áreas de ciências biológicas, meio-ambiente e medicina tropical, além de, no campo da saúde pública, apoiar laboratorialmente a vigilância em saúde.

 
A Diretoria é composta por:
Pedro Fernando da Costa Vasconcelos​
Diretor do Instituto Evandro Chagas
 
Fernando Tobias Silveira
Vice-Diretor do Instituto Evandro Chagas
 
Águida de Cássia Silva Vasconcelos
Secretária da Diretoria
 
Maria Raimunda Mendes da Costa
Apoio à Diretoria
 
Maria Martinha Siqueira
Apoio à Diretoria

image_pdfPDFimage_printPRINT
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page
Instituto Evandro Chagas
Envie uma mensagem para nossa equipe de comunicação e ajudaremos como possível. Nosso prazo de atendimento é de até 10 dias úteis.

Seu nome completo*

Seu e-mail*

Telefone

Estado*

Município*

Assunto*

Sua mensagem